Lúcio Funaro também negocia uma delação premiada, assim como o também preso, Eduardo Cunha. O doleiro apresentará uma segunda proposta nesta segunda-feira (17). Se for forte o suficiente, ela será aceita. 

Se confirmada, dificilmente o ex-presidente da Câmara conseguirá firmar o acordo. É que os investigadores repetem sempre a mesma frase: "Por essa porta só passa um".  

A porta a que eles se referem é a porta que destrói o presidente da República, Michel Temer, ministros próximos a ele e o PMDB da Câmara. 

Funaro também quer imunidade para familiares: a mulher e um irmão. A PGR, inclusive, já ofereceu isso a Eduardo Cunha.