Segundo documentos da PGR (Procuradoria-Geral da República), o procurador-geral Rodrigo Janot chegou a pedir ao Supremo para determinar a utilização de tornozeleira eletrônica, como alternativa a um mandado de prisão.

O ministro Edson Fachin também negou este pedido.

As acusações contra Aécio só aumentam. Executivos da JBS disseram ao Ministério Público que pagaram pelo menos R$ 60 milhões em propina para o senador em 2014.