O presidente eleito, Jair Bolsonaro, recebeu mais uma ameaça de morte partindo da esquerda mundial. 

A Polícia Federal começou a investigar um caso que começou quando uma bomba foi localizada e desarmada pela Polícia Militar de Brasília em Brazlândia, no Distrito Federal, na madrugada do dia de Natal.

Desde então, as autoridades estão atentas a uma nova possibilidade de atentado contra o presidente eleito que tomará posse em 1º de janeiro. 

Um grupo denominado “Maldição Ancestral” afirma ter posto a bomba na igreja, e em seu site, postou um texto com ameaças ao futuro presidente:

“Se a facada não foi suficiente para matar Bolsonaro, talvez ele venha a ter mais surpresas em algum outro momento, já que não somos os únicos a querer a sua cabeça”, diz um trecho. 

“Dia 01 de Janeiro de 2019 haverá aqui em Brasília a posse presidencial, e estamos em Brasília e temos armas e mais explosivos estocados”, alerta o “Maldição Ancestral”.

A inteligência do Exército e a Polícia Federal já estão atentos a todos os movimentos do grupo.