Logo após o início do segundo turno, o candidato líder nas pesquisas, Jair Bolsonaro, foi alvo indireto de um ataque da grande mídia. 

Veículos divulgaram de forma orquestrada vários conteúdos duvidosos de que eleitores do capitão estariam promovendo ataques pelo Brasil.

O candidato, que por sinal foi esfaqueado por um militante petista, foi ao Twitter agora à noite para dizer que dispensa os votos e “qualquer aproximação” de quem pratica violência contra quem não vota nele.

Além disso, Bolsonaro afirmou que há um “movimento orquestrado” para forjar agressões e ligar seu nome ao nazismo —“que, assim como o comunismo, repudiamos completamente”, escreveu.

Confira: