Ao votar a ADI que previa a possibilidade de o Congresso revisar o afastamento e outras medidas cautelares diversas da prisão aplicadas a parlamentares, a presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia, transformou o foro privilegiado em foro da impunidade. 

Ou seja, aqueles que tinham direito a serem julgados apenas pelo Supremo, agora tem o direito de serem punidos apenas por eles mesmos. 

Em uma tacada só, Cármen Lúcia, pressionada por Gilmar Mendes, promoveu a impunidade eterna dos políticos corruptos e acabou com a Lava Jato. 

Se o povo não reagir e clamar por intervenção militar, viveremos eternamente de joelhos. 

É preciso mais do que nunca, muita união e vontade de ser livre.