De todos os votos no julgamento de hoje, o mais confuso foi o da presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia. 

Por isso, ela deve ser considerada a traidora da Pátria. Foi ela quem determinou que o Congresso deve dar a palavra final sobre a suspensão do mandato de parlamentares.

O povo já não esperava mais nada dos outros ministros (Moraes, Toffoli, Mendes, Lewandowski e Marco Aurélio), mas de Cármen Lúcia, não havia uma certeza de que lado ela estava. Agora ficou claro. 

Cármen decidiu colocar os políticos acima da lei e enfrentar o Exército de Mourão. 

Espero, do fundo do meu coração, que a ministra pague caro por tal decisão.