Prevendo uma situação cada vez pior, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pediu ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, uma reunião para iniciar um "diálogo" entre ambos os países.

Engraçado, é que o pedido foi feito através de uma mensagem no Twitter nesta segunda-feira (19).

"@RealDonaldTrump fez campanha promovendo a não intromissão nos assuntos internos de outros países. Chegou o momento de cumpri-lo e mudar sua agenda de agressão por uma de diálogo. Diálogo em Caracas ou Washington DC? Hora e lugar e estarei lá", disse Maduro em sua conta nessa rede social (@NicolasMaduro).

Recentemente, Maduro e altos funcionários de seu governo, como o procurador-geral, Tarek William Saab, denunciaram um suposto plano para uma "invasão militar" na Venezuela a partir da vizinha Colômbia, orquestrado por Washington.

"Se está planejando (...) o bombardeio militar, a invasão militar, a ocupação a ferro e fogo de um país pacífico como a Venezuela", disse Saab na semana passada, acusação negada por Bogotá.

A resposta ao ditador venezuelano veio em uma declaração pública da Casa Branca, que disse que Trump só falará com Maduro quando "a democracia for restabelecida" no país caribenho.

O presidente venezuelano aspira a se reeleger nas eleições presidenciais adiantadas para o próximo 22 de abril, enquanto a oposição disse que não participará, por considerar que não existem condições que garantam um processo limpo.


Com AFP.