Da Agência Sputnik - O senador republicano Michael Conaway, presidente do Comitê de Inteligência do Senado dos Estados Unidos, afirmou nesta segunda-feira (12) que os republicanos não encontraram evidências de cooperação entre a campanha de Donald Trump e a Rússia durante as eleições presidenciais de 2016.

"Nós não encontramos evidências de cooperação, coordenação ou conspiração entre a campanha Trump e os russos", disse o Comitê de Inteligência em relatório.

Foram entrevistadas dezenas de pessoas ao longo de 12 meses e o relatório final das atividades deve ser divulgado amanhã.

Conaway afirmou para a imprensa houve "erros de julgamento" e "reuniões inapropriadas". Ele também disse que a campanha de Trump "não deveria" ter se reunido com advogados russos na Trump Tower em 2016. 

"Apenas Tom Clancy ou Vince Flynn [escritores de ficção científica] ou outra pessoa assim poderiam levar essa série de contatos inadvertidos uns com os outros, reuniões e tecer isso em algum tipo de ficção, thriller de espionagem", disse Conaway ao Washington Post. "Nós não estamos lidando com ficção. Estamos lidando com fatos e não encontramos nenhuma evidência de conluio".

A investigação do promotor especial Robert Mueller, entretanto, segue normalmente.