Relatório final do inquérito que apura o atentado sofrido pelo presidenciável líder nas pesquisas, Jair Bolsonaro, aponta que Adélio Bispo de Oliveira, o esfaqueador, ameaçou o candidato cinco dias antes por meio de uma rede social.

Em uma página dedicada a Bolsonaro, Adélio “manifestou seu desapreço pelo candidato, rotulando-o de ‘Marionete do Capitalismo’ e ‘Bonequinha de Woshiton [Washington]”, diz relatório final da PF.

O militante criminoso de esquerda também escreveu: “Espero que esta sua valentia realmente exista o dia em que me vê”. Ao final da postagem, Adélio disse “que o candidato merecia um tiro na cabeça”.

As mensagens indicam que o terrorista estava planejando o atentado há vários dias.

Outro ponto que vem chamando atenção é um vídeo divulgado nas redes sociais que, segundo informações, estava no celular de Adélio, e mostra que o criminoso supostamente utilizava nomes falsos. 

Nas imagens, é possível ver documentos dele sendo entregues supostamente a ele, mas o mesmo sendo tratado como "Matias". 

Confira: