O ministro Dias Toffoli, que votou a favor de Lula na última sessão do Supremo, concedeu liminar que suspende a inelegibilidade do senador cassado Demóstenes Torres.

Na decisão, o ministro argumenta que “a iminência do encerramento do prazo para que Demóstenes Torres adote providências que constituem critério legal à sua participação nas Eleições de 2018 justifica o provimento liminar”.

Demóstenes foi cassado em julho de 2012 por quebra de decoro parlamentar, após acusações de que usava o mandato para favorecer Carlinhos Cachoeira.

Atualmente, Demóstenes é servidor público e atua como procurador de Justiça do Ministério Público de Goiás (MP-GO). Recebe remuneração mensal média de R$ 30 mil.


Com O Antagonista e Metrópoles.