O relator do habeas corpus de Lula, ministro Edson Fachin, começou o seu voto de forma muito dura. 

Logo de início já mandou um direto: "não há “hipótese” de a decisão sobre Lula ser extensiva a outros presos nem rever a regra geral sobre prisão após condenação em segunda instância."

Os petistas tinha, ou ainda têm esperança de que algum ministro da Corte puxe uma questão de ordem na tentativa de rever o entendimento de 2016 do Tribunal.