Foi liberado nesta terça-feira, pelo ministro Edson Fachin, para julgamento na Segunda Turma do STF, o novo pedido de liberdade apresentado pela defesa de Lula.

No pedido, os advogados de defesa do condenado alegam que Sergio Moro é suspeito para julgar Lula e pedem a nulidade de todos os atos processuais relativos ao caso triplex.

Segundo Ricardo Lewandowski, presidente da Segunda Turma, o caso pode ser julgado até o mês que vem, antes do recesso.

Compõem a Segunda Turma os ministro Edson Fachin, Lewandowski, Celso de Mello, Cármen Lúcia e Gilmar Mendes. 

Essa parece ser uma daquelas bombas que o STF costuma armar antes do recesso.