O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, negou pedido da defesa de Lula para que gravações de conversas do ex-presidente fossem retiradas da responsabilidade de Sérgio Moro.

A defesa do petista condenado alegou que Moro não podia divulgar conversas entre o ex-presidente e autoridades com foro privilegiado, como ministros.

Fachin avaliou que só haveria irregularidade se as gravações fossem usadas como prova contra essas autoridades. 

Não há suspeita de crime contra elas, disse Fachin.


Com O Antagonista