Em conversa gravada pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, o presidente Michel Temer afirmou que não acredita que será cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Temer atribuiu sua convicção ao fato de os ministros da Corte terem “consciência política”.

Recentemente, Temer indicou para o Tribunal os ministros Admar Gonzaga e Tarcísio Vieira em duas vagas que foram abertas.

O julgamento está marcado para reiniciar no dia 6 de junho, mas pode ser antecipado devido ao escândalo da gravação.