Em viagem pelo Brasil e vizinhos regionais, o secretário de Defesa americano, James Mattis, conhecido como "Cachorro Louco", insinuou que a crescente influência de China e Rússia na América do Sul pode representar uma ameaça para os países da região.

Em sua passagem pelo Brasil, Mattis disse a jornalistas que não vê a relação dos países sul-americanos com Pequim e Moscou como um ataque a Washington, mas alertou para o perigo de perda de soberania na região.

"Não vejo o que outros países estão fazendo com outras nações como algum tipo de ataque contra nós. Essas são decisões soberanas tomadas por Estados soberanos”, disse. 

Para ele, a relação com China e Rússia, considerados adversários dos EUA pelo governo Donald Trump, seria preocupante somente se os governos locais começassem a perder "certo grau de soberania”.

Contudo, acrescentou: "Existe mais de uma maneira de perder soberania neste mundo... isso pode ocorrer por conta de países que chegam com presentes ou empréstimos”, disse Mattis, fazendo referência ao aumento de investimentos chineses na América Latina.

"Preocupa-nos que a China tenha uma forma de fazer negócios que não necessariamente responde da melhor maneira possível aos interesses de nossos aliados no hemisfério”, disse.

A viagem de Mattis visa fomentar a colaboração, prosperidade e segurança na região, o que envolve parcerias com os EUA nas áreas de inovação tecnológica e missões humanitárias.


Com informações da DW.