O general Joaquim Silva e Luna, diretor-geral de Itaipu, mandou cancelar todos os convênios de patrocínio que estavam em vigor mas não tinham qualquer relação com a missão da empresa.

Dentre os nove convênios cancelados, está um entre a Itaipu e a Fundação Getúlio Vargas (FGV), que está promovendo o VII Fórum Jurídico de Lisboa, de 22 a 24 de abril, em Portugal.

O evento tem entre os seus organizadores o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. 

O convênio foi assinado em novembro, no final do governo do ex-presidente Michel Temer e tinha como valor total R$ 3,369 milhões, a serem pagos em três parcelas. Ainda em dezembro de 2018, foi enviado para a FGV R$ 2,492 milhões, mais de 70% do valor total, informa o Estadão.

Os R$ 876 mil restantes, que deveriam ser repassados no início do ano, foram bloqueados pela nova administração de Itaipu e não serão mais repassados.

“Estamos fazendo auditoria em todos os patrocínios”, disse o general Joaquim Silva e Luna.