As cotas em empreendimentos imobiliários no valor total de R$ 12,7 milhões pertencentes ao ex-ministro Geddel Vieira Lima; ao irmão dele, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), e a Marluce Quadros Vieira Lima, mãe dos dois, foram bloqueadas pelo ministro Edson fachin, do Supremo Tribunal Federal. 

As cotas estão em sete edifícios em construção na cidade de Salvador e, segundo a procuradoria geral da República, foram adquiridas para lavar dinheiro ilícito.

Além do bloqueio das cotas , a PGR Raquel Dodge quer ainda que os irmãos paguem indenização de R$ 51 milhões por danos morais coletivos.