Faz tempo que percebi que falar mal do presidenciável Jair Bolsonaro se tornou um grande negócio no mundo digital. Não resolvi me manifestar antes porque achei que ainda não era adequado. 

No entanto, agora em época de campanha, acho que é o momento de expor meu pensamento para que pessoas reflitam sobre o assunto.

Quando a grande mídia fala mal do candidato Jair Bolsonaro nas redes sociais, logo surgem milhares de "robôs" para comentar na publicação algo em defesa do candidato mais perseguido da grande mídia.

Digo "robôs", entre aspas, porque estes são chamados assim pela grande mídia, mas na verdade, são pessoas reais que decidiram de alguma forma lutar pelo futuro do país.

Estes usuários de redes sociais são chamados desta forma porque a reação deles é algo tão instantâneo e intenso, que é desta maneira que muitos algorítimos interpretam os comentários feitos por eles.

É justamente isso que faz com que falar mal de Bolsonaro se torne um grande negócio.

Por se tratar de pessoas reais, os amigos destas pessoas recebem em sua 'time line' a publicação que fala mal de Jair Bolsonaro indicando o seguinte: "fulano comentou isso".  

Além deste engajamento forçado proporcionado por estes "robôs", o próprio candidato e seus filhos, com redes sociais fortíssimas, compartilham essas postagens para desmenti-las.

Os veículos da grande mídia são empresas acima de tudo com finalidade lucrativa. Aparentemente, isso faz com que elas acabem cedendo mais espaço para jornalistas que atacam o candidato, justamente porque os artigos deles geram mais engajamento, que gera mais alcance, que gera mais cliques, que gera mais acessos, que gera mais receita dos patrocinadores. 

A afirmação "falar mal de Jair Bolsonaro se tornou um grande negócio" ficou ainda mais evidente na madrugada deste domingo (19). 

Em matéria publicada pelo Jornal O Globo com o título "MPF estuda nova investigação contra Bolsonaro por "Açaí da Val", o jornal se esqueceu de editar uma nota no subtítulo da manchete.  

A nota dizia o seguinte: “Acho que podemos deixar pra entrar no site amanhã né, pra render o dia todo, ninguém mais tem”.

Confira:


Quando a grande mídia diz "render o dia todo", é claro que ela fala de lucros, mas o pior é que , mais que isso, ela sabe que além de dinheiro, muitas pessoas verão a postagem por conta deste engajamento forçado provocado por pessoas que comentarão o post para defender o candidato. 

Sem dúvida nenhuma que as opiniões são formadas nos comentários das postagens, mas será que é interessante compartilhar estas publicações ?

Será que é inteligente fazer com que noticias difamatórias contra o candidato apareçam na time line dos outros ?

Já pensaram na hipótese destes "robôs" se unirem para engajar posts pró-Bolsonaro ?