O general Hamilton Mourão, vice na chapa de Jair Bolsonaro, disse a Andréia Sadi que a fala de Eduardo Bolsonaro sobre o fechamento do STF foi um “arroubo juvenil”.

“Como é que vai fechar o STF? Precisaria das Forças Armadas – que jamais apoiariam isso. Risco é zero”, disse Mourão.

Durante uma palestra feita antes do primeiro turno das eleições, Eduardo disse que se o STF impugnar a candidatura do pai “terá que pagar para ver o que acontece". "Será que eles vão ter essa força mesmo?", pergunta.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de o Supremo Tribuna Federal impedir que Jair Bolsonaro assumisse a presidência se ele vencesse no primeiro turno das eleições e se o Exército poderia agir nesse caso, o deputado respondeu:

"Aí já está encaminhando para um estado de exceção. O STF vai ter que pagar para ver. E aí quando ele pagar para ver, vai ser ele contra nós. Você tá indo para um pensamento que muitas pessoas falam, e muito pouco pode ser dito. Mas se o STF quiser arguir qualquer coisa - recebeu uma doação ilegal de cem reais do José da Silva e então impugna a candidatura dele. Eu não acho isso improvável, não. Mas aí vai ter que pagar para ver. Será que eles vão ter essa força mesmo? O pessoal até brinca lá: se quiser fechar o STF, você sabe o que você faz? Você não manda nem um jipe. Manda um soldado e um cabo. Não é querer desmerecer o soldado e o cabo não."

Após a repercussão do vídeo, Eduardo se pronunciou sobre o vídeo em que fala do fechamento do STF.

“Acredito que o vídeo não é motivo para alarde, até porque eu mesmo o publiquei em minhas redes sociais há quase quatro meses. Trata-se de mais uma forçação de barra para atingir Jair Bolsonaro, assim como é essa balela de Whatsapp fake news ser o fator que está conduzindo Jair Bolsonaro possivelmente para a Presidência (…).

Se fui infeliz e atingi alguém, tranquilamente peço desculpas e digo que não era a minha intenção”.