Diferente do PT que já anunciou que buscará, se Haddad foi eleito, a regulamentação da mídia, ou seja, a censura, o candidato líder nas pesquisas e esfaqueado por um militante petista, Jair Bolsonaro, voltou a defender a liberdade de imprensa. 

O capitão fez questão, no Twitter, de usar letras maiúsculas:

“Ao contrário do que propõem nossos adversários, SOMOS CONTRA QUALQUER TIPO DE CONTROLE SOCIAL DA MÍDIA E INTERNET.”

Confira: