O PGR Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a transferência de Eduado Cunha para um presídio de segurança máxima. 

Edson Fachin, no entanto, negou o pedido. Disse que, apesar de haver gravidade na suposta conduta, Cunha não apresentava perfil de violência para justificar a transferência.

“Sem prejuízo de nova consideração em momento posterior, embora gravíssimas as condutas dos representados em questão, observo que tais estabelecimentos, como já decidiu esta Suprema Corte, destinam-se a presos de perfil diferenciado, usualmente violento, com histórico de fugas e rebeliões. Apesar do histórico de reiteração, mesmo a partir do cárcere, compreendo que, até o momento, não há maiores indicativos de que a transferência seja a única forma de impedir que a reiteração delitiva se protraia”, escreveu Fachin.