A revista Veja desta semana traz relatos gravíssimos sobre o juiz Roberto de Figueiredo Caldas, 55 anos. 

Sempre respeitadíssimo, principalmente pelo viés de seu trabalho, voltado à preservação de direitos sociais e trabalhistas, Roberto acabou, em 2012, indicado por Dilma Rousseff, para ocupar uma vaga na Corte Interamericana de Direitos Humanos (CorteIDH), entidade reconhecida por vinte países que compõem a Organização dos Estados Americanos (OEA) quando o assunto é violação de garantias básicas. Em 2016, ele assumiu a presidência da Corte.

Na reportagem da revista desta semana, Roberto é acusado de injúria, agressão, espancamento e ameaça de morte por Michella Marys, sua companheira até fevereiro passado. 

Sobre Roberto Caldas recai ainda a acusação de assédio sexual a duas babás de seus filhos. 

O advogado de defesa de Roberto negou que seu cliente tenha praticado qualquer tipo de agressão física. Ele resume os episódios a "tumultos mútuos de agressões verbais".

Um vídeo com depoimentos e áudios das agressões você confere na Revista Veja desta semana.