A Justiça negou pedidos para que Lula participe de entrevistas e sabatinas como pré-candidato à Presidência.

De acordo com a decisão assinada pela juíza Carolina Lebbos, “embora [Lula] se declare pré-candidato ao cargo de presidente da República, sua situação se identifica com o status de inelegível. Em tal contexto, não se pode extrair utilidade da realização de sabatinas ou entrevistas com fins eleitorais”.

O pedido para entrevistar o condenado havia sido feito pelo UOL, Folha de S. Paulo e SBT. 

Lula foi condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva.