O juiz argentino Claudio Bonadio mandou prender ex-funcionários e empresários vinculados aos governos de Néstor e Cristina Kirchner (2003-2015), informa O Globo

“A prisão que provocou maior comoção na Argentina foi a de Roberto Baratta, que era braço direito do então ministro do Planejamento Julio De Vido, atualmente detido por outro caso de corrupção.”

A ex-presidente Cristina, hoje senadora, deverá prestar depoimento no próximo dia 13 de agosto, sobre as denúncias nos tribunais portenhos.

"Também foram presos Rafael Llorens, ex-subsecretário Legal de Planificação Federal, e os empresários Gerardo Ferreyra, da empresa Electroingenieria, e Javier Sánchez Caballero, da IECSA." 

Na mídia local, o caso está sendo chamado de “Lava-jato argentina”.