O ministro Luís Roberto Barroso, durante seu voto no julgamento que decide se o STF continuará sendo a representação máxima do Poder Judiciário,  afirma que “o afastamento de um parlamentar não é algo banal, é excepcional”.

“Como é excepcional um parlamentar usar o cargo para cometer crimes”, acrescentou o ministro.

Ele diz que não se pode passar a ideia de que algumas pessoas estão livres para cometer crimes.“Não gostaria de viver num país assim,”concluiu.

Gilmar Mendes é o mais ferrenho defensor da ideia de o STF abaixar a cabeça e abanar o rabo para os políticos.

O que os parlamentares querem, é transformar o foro privilegiado, em foro da impunidade.  

O placar da votação está em 1x1.


Com O Antagonista