É o que pede a Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, ao Supremo Tribunal Federal, sobre investigação aberta a partir de delações da Odebrecht. 

Dodge quer que a Corte conceda mais 60 dias para conclusão de inquérito sobre os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE). 

Além deles, os senadores Romero Jucá (MDB-RR) e Renan Calheiros (MDB-AL) e o deputado Lúcio Vieira Lima (MDB-BA), também são investigados. 

O inquérito apura se os cinco parlamentares receberam propina de R$ 7 milhões da construtora Odebrecht em troca da aprovação de medida provisória de 2013 que tratou de incentivos tributários a produtores de etanol e à indústria química. Há suspeitas de propina em outras duas MPs.


Com G1