A rebelião que culminou com ao menos 33 presos mortos na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Roraima, repetiu as cenas de brutalidade vistas no motim que matou 56 detentos em Manaus no dia 1º de janeiro. Segundo relatos, parte dos presos de Roraima foram decapitados e esquartejados. Alguns deles tiveram o coração arrancado. Familiares dos presos se concentram na porta do presídio em busca de informações.

A barbárie está apenas começando.