Segundo a Crusoé, quatro médicos cubanos relataram, em processo que movem contra a Organização Panamericana de Saúde, que receberam “treinamento militar intensivo” para PEGAR EM ARMAS para defender dos interesses de Cuba no país em que trabalhassem. 

Mas não é só isso. Eles também contaram que eram treinados a doutrinar pacientes em favor de partidos políticos pró-Cuba.

Será por isso a pressa de Cuba em tirar os médicos daqui quando Bolsonaro ganhou? 

Estavam com medo de serem descobertos?