O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, negou ter conversado com o presidente Michel Temer sobre o processo que pode cassar o mandato do peemedebista em tramitação na corte. Gilmar pegou carona no avião presidencial em viagem a Portugal, que levou uma comitiva para acompanhar o funeral do líder português Mário Soares.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, o ministro negou haver conflito de interesse, chamou de “bobagem” o questionamento sobre a carona e disse que “não é preciso viajar para combinar uma coisa espúria”.

“Se fosse para combinar uma coisa espúria, obviamente, pode fazer isso em qualquer lugar. Não precisa ir a Portugal”, declarou. 

“Não tem nenhum conflito [de interesse em viajar de carona com Temer]. Quem abriu esse processo no TSE fui eu. A ministra Maria Tereza tinha arquivado [o processo] e a tendência do tribunal era confirmar [o arquivamento]“, afirmou à repórter Marina Dias.

O ministros só se esqueceu de falar em ética. É um réu viajando com o juiz que irá julga-lo.