O ministro Luís Roberto Barroso, ao citar os dados do Supremo, destacou que foro privilegiado é hoje uma "causa frequente de impunidade" e se tornou uma "perversão da Justiça". A informação é do Estadão.

O ministro defendeu uma interpretação mais restritiva sobre o alcance do foro privilegiado, que teria caráter excepcional, limitando-se especificamente aos crimes cometidos durante o mandato de políticos e que dizem respeito estritamente ao desempenho daquele cargo.

Demorou pra este povo perceber isso. Não é ?