O ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, teve recurso rejeitado pelo ministro do STJ, Félix Ficher. 

A defesa do petista pleiteava para que fosse atribuído efeito suspensivo ao recurso especial contra sua condenação no caso do tríplex.

Com isso, a defesa pretendia que o condenado pudesse deixar a Superintendência da PF em Curitiba para participar da campanha eleitoral – pelo menos até o julgamento do recurso especial pela Quinta Turma do STJ.

A decisão de Fischer manteve a democracia ainda respirando.