O presidente Jair Bolsonaro destacou oito pontos a respeito de seu esfaqueador, Adélio Bispo

São eles:

- Filiado ao PSOL desde 2014.

- Em 6 de agosto de 2013, o então filiado ao PSOL, esteve no anexo 4 da Câmara dos Deputados, como registra sistema;

- Em 5 de julho de 2018, gastou centenas de reais, em dinheiro vivo, na prática de tiro no mesmo clube em que os filhos de Bolsonaro frequentavam e na mesma cidade em que Carios, filho de Jair, estava viajando (Florianópolis / SC);

- Mesmo morando em Montes Claros (MG), Adélio estava em Juiz de Fora há duas semanas e pagou adiantado por um mês de estadia numa pensão, em espécie, na época que tentou assassinar Bolsonaro;

- No dia da tentativa de assassinato, filmagem mostra o ex- integrante do PSOL com a faca na mão, indo em direção a Carlos Bolsonaro, mas sem perceber consegue se abrigar, fazendo o criminoso se afastar;

- Usando o nome do antigo filiado do PSOL, alguém registra presença na Câmara dos Deputados no mesmo dia da tentativa de assassinato. Álibi perfeito caso fugisse do local do crime;

- Mesmo com condições financeiras baixas, pois sabe-se que normalmente trabalhava como servente de pedreiro, Adélio possuía 3 celulares e um lap top;

- Duas pessoas que estavam na pousada em Juiz de Fora, frequentada pelo ex-integrante do PSOL, morreram após a tentativa de assassinato de Bolsonaro: