O ministro da Fazenda em um possível governo de Jair Bolsonaro, Paulo Guedes, foi vítima da má-fé da revista de extrema esquerda Piauí. 

A edição que chega às bancas amanhã, distorceu informações para atacar o economista. Segundo Lauro Jardim, a revista disse que Guedes se defendeu de quem o ataca, atacando:

— (...) Esses caras estão me discriminando, me atacando, porque eu tô tentando ajudar o país...Quer dizer: todo mundo aí trabalhou para o Aécio, ladrão. Trabalhou pra o Temer, ladrão. Trabalhou pro Sarney, ladrão e mau caráter que aparelhou o Brasil inteiro...

Sobre isso, Guedes enviou a seguinte nota ao site O Antagonista:

“Fiquei surpreso e decepcionado com o tom da chamada da revista Piauí, que me atribui acusações contra José Sarney, Aécio Neves e Michel Temer. Minhas declarações foram retiradas de contexto para provocar cizânia. Lamento que uma conversa informal tenha sido transformada numa peça acusatória contra políticos que mal conheço”.

“Sofro discriminação por apoiar o Jair Bolsonaro. Outros economistas, que apoiaram Sarney, Aécio e Temer – que representam a velha política e foram alvos de várias acusações – recebem tratamento totalmente diferente. A velha imprensa também está desesperada.”