O presidente eleito, capitão Jair Bolsonaro (PSL), já escolheu sete ministros para integrar o futuro governo.

São eles:

  • Onyx Lorenzoni (Casa Civil)

O médico veterinário de 64 anos está no 4º mandato consecutivo como deputado federal e foi reeleito com 183.518 votos.

  • Paulo Guedes (Economia)

Com 69 anos, vai assumir um superministério, que reúne Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio. É formado em economia na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e fez mestrado e doutorado na Universidade de Chicago (EUA). Nunca teve cargo público e fez fortuna no mercado financeiro.

  • General Augusto Heleno(Segurança Institucional)

Comandou a missão de paz das Nações Unidas no Haiti, foi comandante militar da Amazônia e chefiou o Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército.

  • Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia)

É engenheiro aeronáutico e o único astronauta brasileiro a ir para o espaço. Foi aviador, piloto de caça e seguiu carreira militar, chegando ao posto de tenente-coronel.

  • Sérgio Moro (Justiça)

Nascido em Maringá (PR) e atualmente com 46 anos, formou-se em direito pela Universidade Estadual de Maringá e tem mestrado pelo Universidade Federal do Paraná. É juiz federal há 22 anos. Ganhou destaque mundial comandando a Operação Lava Jato de Curitiba. 

  • Tereza Cristina (Agricultura)

Engenheira agrônoma e empresária. É a atual presidente da Frente Parlamentar Agropecuária do Congresso Nacional, conhecida como a bancada ruralista

  • General Fernando Azevedo e Silva (Defesa)

Foi chefe do Estado-Maior do Exército, ou seja, o número 2 na hierarquia desta Força Armada, atrás apenas do comandante, o general Eduardo Villas Bôas. Desde setembro, Silva ocupa o cargo de assessor especial de Toffoli no Supremo. Depois de ir para a reserva, foi indicado ao presidente do STF por Villas Bôas, após  pedido do presidente da Corte de que gostaria de ter um nome militar em sua equipe.