Após muitos debates e teorias sobre uma suposta maldição, um sarcófago encontrado em Alexandria finalmente foi aberto por arqueólogos. 

Foram encontrados dentro dele três múmias em estado de decomposição. O interior do túmulo estava repleto de uma substância que aparentemente seria água.

Ao realizar o anúncio da descoberta, Mostafa Waziry, líder do ministério das Antiguidades Egípcias, fez uma brincadeira com os jornalistas e afirmou que os cientistas não foram atingidos por alguma maldição ao abrirem o sarcófago. 

De acordo com Waziry, a água de coloração vermelha seria proveniente de um esgoto, que preencheu parcialmente o túmulo após uma infiltração no revestimento de granito.

Perto do local onde foi encontrado o túmulo esculpido em granito preto de cerca de 30 toneladas, foi encontrado uma escultura de uma cabeça de quem acreditam ter sido enterrado ali. 

Entretanto, por ter sido esculpida em uma pedra macia chamada alabastro, ela foi parcialmente corroída. Assim, algum estudo será demandado para fazer saber o dono do maior sarcófago de Alexandria.