Foi confirmado para a próxima terça-feira (26) pelo presidente da Segunda Turma, ministro Ricardo Lewandowski, o julgamento de um pedido de liberdade apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A defesa pleiteia um efeito suspensivo da execução da pena, que pode deixar o petista aguardar em liberdade enquanto os recursos são julgados nas instâncias superiores. 

Também tenta que seja suspensa a inelegibilidade gerada com a condenação na segunda instância da Justiça.