O novo ministro da Justiça, Sérgio Moro, que assumirá no ano que vem, quer investigar a origem dos R$ 174,5 bilhões que estavam no exterior sem registro na Receita Federal. 

O valor foi repatriado por meio de programa editado nos governos Dilma Rousseff e Michel Temer.

Na época, o governo possibilitou que quem tivesse valores no exterior pudesse repatriar sem informar a origem do dinheiro. 

Segundo O Globo, "o plano Moro é incrementar a integração entre a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e unidades de inteligência financeira, em especial o Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), para verificar o uso dos valores por organizações criminosas — tanto aquelas com atuação violenta, como tráfico de drogas e armas, quanto as envolvidas em crimes de colarinho branco. Essas condutas não estão anistiadas pela lei”.