O site O Antagonista conta que Raquel Dodge pediu o envio para Sérgio Moro dos anexos e termos de declaração em que Joesley Batista revela ter pago US$ 150 milhões em contas no exterior – que estariam em seu nome.

"A propina seria uma contrapartida ao acesso privilegiado do empresário aos cofres do BNDES, com ajuda de Guido Mantega. Os novos documentos, porém, vão subsidiar investigações já em curso."

"A apuração específica sobre as “contas de Lula e Dilma” já corre na Justiça Federal do Distrito Federal, que também receberá cópia dos documentos complementares."

"A PGR também pediu para que seja enviada a Curitiba a parte da delação que envolve uma conta usada por Joesley no exterior em benefício de João Vaccari Neto e Guilherme Gushiken, filho de Luiz Gushiken. E ainda os trechos da colaboração referentes a fundos de pensão."