Adélio Bispo de Oliveira, terrorista que tentou assassinar Jair Bolsonaro, teve sua prisão convertida de temporária para preventiva após audiência de custódia que terminou há pouco. 

Além disso, o juiz também determinou a transferência dele para um presídio federal, atendendo pedido da Polícia Federal. 

“A escolha da penitenciária ficará a cargo do Ministério da Justiça”, diz O Globo.

O criminoso foi enquadrado na Lei de Segurança Nacional por "praticar atentado pessoal ou atos de terrorismo, por inconformismo político ou para obtenção de fundos destinados à manutenção de organizações políticas clandestinas ou subversivas". 

O crime está previsto no artigo 20 da legislação. 

A pena prevista para este tipo de delito é de três a dez anos de prisão, podendo aumentar o dobro em caso de lesão corporal grave ou o triplo, se resultar em morte.