O Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela, que está no exílio, pediu na segunda-feira ao secretário-geral da INTERPOL para emitir um "alerta vermelho" com o objetivo de obter cooperação internacional para capturar o presidente Nicolás Maduro.

No final de outubro, o "legítimo" TSJ, como se descreveu, julgou Maduro pelos crimes de corrupção e legitimação do capital em relação ao escândalo da construtora brasileira Odebrecht.

Em uma carta a Jurgen Stock, o tribunal explicou que depois de cumprir com "os procedimentos contidos na lei venezuelana", o presidente foi condenado a 18 anos e três meses de prisão.

O tribunal publicou a carta através de sua conta no Twitter, dizendo que a INTERPOL foi notificada para prosseguir com a captura de Maduro.