O terrorista da Catedral, que matou quatro fiéis católicos, possuía entre 28 e 30 munições quando foi atingido por policiais militares e se matou.

O criminoso só parou de atirar após ser alvejado por policiais que estavam nas imediações da catedral e entraram na igreja ao ouvir os tiros e os gritos de socorro – nesse momento, o criminoso atirou contra a própria cabeça.

“Algumas pessoas correram e policiais que estavam em frente à igreja ouviram os disparos e correram ao interior da igreja. Ele continuou com os disparos, os policiais se abrigaram e, quando foi possível, o atingiram com um disparo. Nesse momento, ele efetuou um disparo contra a própria cabeça”, afirmou o major Adriano Augusto, comandante do 8º Batalhão da Policia Militar, em entrevista à GloboNews.