O xeique xiita Bilal Mohsen Wehbe esteve entre os convidados de um evento realizado na terça-feira passada (17) no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, informa a Veja.

Libanês naturalizado brasileiro, Wehbe se tornou o principal nome do grupo terrorista Hezbollah na América do Sul, depois que Mohsen Rabbani foi obrigado a fugir da Argentina, acusado de ter sido o arquiteto do atentado contra a sede da Associação Mutual Argentina, em 1994, em Buenos Aires.

As imagens da cerimônia na terça-feira (17) mostram-no na mesa onde o governador Márcio França (PSB) ocupava a cabeceira. Também é visto em fotografias do evento ao lado de diversas autoridades, incluindo o próprio governador.

Questionado, o governo de São Paulo justifica que “a comitiva foi definida pela Associação dos Empresários Libaneses do Brasil, sem qualquer interferência do Palácio dos Bandeirantes”. Essa entidade é presidida por Issam Sidom, que também estava no local.