O empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, finalmente conseguiu fechar um acordo de colaboração premiada com a PGR.

No acordo, segundo O Globo, relata pagamentos de propina e caixa 2 a 14 políticos, como Lula e Eduardo Paes.

A homologação do acordo agora depende do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)  Edson Fachin, relator do caso. 

Só após o retorno do recesso, em fevereiro, é que o ministro poderá despachar o acordo. Ele pode homologar integralmente seus termos ou pedir ajustes à PGR. 

Após a homologação, Dodge pode instaurar novas investigações a partir da delação do empreiteiro.


Curta O Patriota no Facebook.

Siga nosso canal no Telegram: CLIQUE AQUI.