O STF já atingiu maioria pela rejeição do habeas corpus de ofício ao ex-ministro Antônio Palocci. 

O placar até agora é de 6 x 4. Falta ainda o voto da presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia. 

O último a votar foi o ministro Celso de Mello, que destacou que não há ilegalidade na prisão preventiva de Antonio Palocci, decretada por Sérgio Moro.